• Katia Meireles

Não tem almoço de graça: o novo golpe do bug do Pix em dobro


A gente já perdeu as contas de quantas vezes falamos sobre a tal da engenharia social - aqueles golpes que dependem do fator humano para ocorrerem: desde pedido de dinheiro urgente via Whatsapp de alguém que teve o aplicativo hackeado até links de pagamento falsos.


E basta que um assunto esteja em alta para que esses golpistas entrem em ação. A bola da vez é o Pix e o mais recente golpe é o “bug do Pix”. Como sempre ocorre na engenharia social, o golpista usa da urgência ou do ganho de vantagens para chamar atenção da potencial vítima. Nesse caso, o que o fraudador faz é compartilhar um vídeo via Whatsapp e redes sociais dizendo que encontrou uma falha no sistema e que, com ela, você pode fazer uma transação via Pix e receber o dobro na sua conta. Incrível - só que não. Nessa situação, de bug não há nada: há a esperteza de alguém sendo usada para prejudicar outros.


Como funciona

No vídeo compartilhado, o fraudador explica que há algumas chaves aleatórias bloqueadas que originam a volta do valor que o espectador transferir em dobro para a conta dele e que vai usar uma delas como exemplo. Em seguida, ele faz a transferência de um valor para essa chave e mostra que instantes depois, ele tem o dobro do valor na conta dele. Óbvio, esses vídeos geralmente são editados ou contém truques para mostrar a transferência em dobro. Por exemplo, os golpistas podem realizar duas transferências mas mostrar apenas uma na hora de filmar. Acontece que essa “chave aleatória bloqueada” é, na verdade, da conta do próprio fraudador.


E não acaba por aí

Claro que a vítima não recebe valor nenhum na conta dela após fazer a transferência para a tal chave aleatória e muitas vezes vai atrás do fraudador também via Whatsapp ou redes sociais para dizer que o processo não funcionou com ela. Não contente, o fraudador pede para a pessoa testar novamente com o valor mínimo de transferência via Pix (R$ 10). Daí, o fraudador deposita R$ 20 na conta da vítima e explica que, como a pessoa pode ver, essa falha ainda está ocorrendo mas que está demorando mais do que antes então, que ele indica que você faça a transferência de tudo o que tiver para aproveitar a falha antes que eles a corrijam.


Mas não se engane: o Pix é super seguro

O Pix tem uma das tecnologias mais avançadas em termos de segurança. Além de contar com os mesmos mecanismos que protegem transferências via TEDs e DOCs, ele conta com as camadas de segurança oferecidas pelas próprias instituições financeiras, principalmente a criptografia e a autenticação de dois fatores.


38 visualizações0 comentário